Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Eu, Lástima

Um heterónimo que realça o lado mais cómico, crítico e lastimoso da vida de quem me decidiu criar.

Eu, Lástima

Um heterónimo que realça o lado mais cómico, crítico e lastimoso da vida de quem me decidiu criar.

Casa portuguesa? Com certeza!

09.06.21, Lástima

Portugal, país dos 3 F's. Somos conhecidos pelo mundo fora através do Futebol, Fado e Fátima (estando eu a ignorar por completo a época colonial porque, pronto, não sei se este é o espaço para essa conversa). Mas parece-me que nos estamos a esquecer de algo quase tão mais importante que estes três pontos. Não, não é a comida - temos combinações que não lembram nem ao Senhor. É a música pimba, pois claro!

Se bem que acho que este é o guilty pleasure de toda a nação. Poucos são os que admitem de boca cheia que ouvem (e adoram) as músicas da Rosita. Mas não faz mal. Apenas lê este post e mata um pouco a saudade tão tipicamente portuguesa das nossas músicas mais absurdas (e irresistíveis). 

Ainda por cima, este vai ser mais um ano sem Santos Populares, época que servia de desculpa para ouvir toda a discografia dos autores mais bizarros. Como aqui a amiga gosta de ti, toma lá esta playlist feita com muito amor - e referências ao truca-truca.

emanuel.jfif

QUIM BARREIROS - "A CABRITINHA"

Se este é o início mais previsível da história das playlists de música pimba? Sim. Mas é igualmente inevitável abordar o clássico do Quim Barreiros. 

Podia apresentar-te aqui todas as suas obras, mas depois isto tornava-se um post de homenagem ao homem e não sei se estou preparada para revelar a minha adoração secreta.

FÉLIX COSTA - "AI AI QUEM ESCORREGA TAMBÉM CAI"

Haverá algo melhor que um senhor barrigudo de panamá a dar-nos conselhos de vida? Creio que não. Uma coisa é certa: "quem escorrega, também cai". Mas "escorregar não é cair". Okay... se calhar não estou a apanhar o propósito da coisa.

JOSÉ MALHOA - "BAILE DE VERÃO"

Ah, o  grande José Malhoa. Um poeta que nunca se esqueceu do primeiro beija-beija no bailarico de verão. Claro está que, adiante, apertou com ela. E ainda dizem que o romance está morto.

ROSITA - "EU FAÇO DE COENTRADA"

A madre Teresa de Calcutá está à voltas na cova. Então passou a vida inteira a prestar devoção ao Senhor, tornando-se uma representação da bondade, para agora a Rosita vir para aqui ser ainda mais prestável? As pessoas ao cuidado da madre nunca tiveram uma coentrada. Se estivessem sob a supervisão da Rosita... iam ser elas!

EMANUEL - "O RITMO DO AMOR"

Se música pimba pode ser má e kuduro ainda pior, o Emanuel quis fazer o oposto da Hannah Montana e juntou o pior dos dois mundos. Temos ritmos latinos, "portunhol", pessoas a abanar as ancas num talho, um vocalista com os conhecidos 'crazy eyes'... tudo e mais alguma coisa. Ainda por cima a música é orelhuda e já não me sai da cabeça.

RUTH MARLENE - "COISINHA SEXY"

Sabemos que uma música é boa quando começa com um gemido. 

SAUL - "O BACALHAU QUER ALHO"

Eu sei que escrevi que o nosso país tem refeições meio bizarras. Mas o pequeno Saul convenceu-me do contrário. A culpa não é do prato, é do tempero. Então se for dito de forma brejeira e por uma criança, oh! Cultura popular portuguesa resumida em 3 minutos e 23 segundos.

ANA MALHOA - "TÁ TURBINADA"

Esta canção tem um lugar especial no meu baú de memórias. Não só porque me comove esta coisa do pai passar o seu legado à filha, como também tive citações desta bela obra nos meus tempos de caloira. "Não, eu nunca apoiaria a guerra. A guerra não é vencedora. Sou uma máquina, sim. La máquina de fiesta. Súbelo". 

Se esta não fosse uma música de 2015, acredito que diversos conflitos militares tivessem sido evitados. Mesmo os de agora. Os quase 50 anos de guerra na faixa de Gaza já podiam ser passado...

TOY - "ÉS TÃO SENSUAL"

Achavas mesmo que me ia esquecer do Toy? A sério? Este homem é a minha paixão (por favor não digas ao meu namorado)!

Eu sei que o coração que ama não tem idade e que a sua mais recente cantiga viralizou que nem ginjas. Mas quis voltar aos clássicos do meu amado. O instrumental sedutor, a letra arrasadora. Tudo neste homem é caliente.

MARCO PAULO - "O QUE É QUE FAZES ESTA NOITE"

O homem dos dois amores, com um maravilhoso coração e dono dos caracóis mais marcantes do início do milénio também gosta de um flirt básico. Quem não?

TINO DE RANS - "PÃO COM MANTEIGA"

Isto nem deve contar como música pimba (ou música, sejamos sinceros). Mas haverá melhor representação da nossa parolice do que um candidato às Presidenciais com este historial? Sim. Mas não me está a apetecer falar do Tio Jel.

Pronto, já parei com as músicas. Passo agora para a danças. É que, convenhamos, arraial não é arraial sem certas e determinadas coreografias. De todas, destaco três:

1. Mãos na anca com duas melancias imaginárias e rotações subtis do ventre;

2. Braços no ar (normalmente com um copo de cerveja ou sangria em cada mão) e repetidas rotações abdominais;

3. Posição de dançarino com amigo imaginário - que consiste em fingir que estamos a dançar com um par (incluindo a colocação da mão esquerda ao alto, como se tivesse outra a agarrá-la, e da mão direita mais abaixo, caso exista alguma lombar alheia para apanhar) enquanto se balanceia num pequeno quadrado.

E penso que por hoje é tudo. Junho é o mês em que se celebra o Dia de Portugal e respetiva desbunda anual, adiada novamente, pelo que achei giro trazer um pouco dessa boa energia para aqui. Ou tentar, pelo menos.

Esqueci-me de alguma canção? O que é que mudavas na playlist? Também tens tantas saudades dos Santos Populares como eu? Já sabes onde te espero!