Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu, Lástima

Um heterónimo que realça o lado mais cómico, crítico e lastimoso da vida de quem me decidiu criar.

Eu, Lástima

Um heterónimo que realça o lado mais cómico, crítico e lastimoso da vida de quem me decidiu criar.

Ode a Tim Burton, o pai do Halloween

28.10.20, Lástima

Não sei quanto a ti, mas eu acho que o Tim Burton devia ser o dono do Dia das Bruxas. Apesar de, inconscientemente, ser o autor de alguns dos meus traumas de infância, sei que ele é indiscutivelmente talentoso e não haveria melhor data senão esta para homenagear as suas obras tão marcantes. Acho que Halloween não seria Halloween sem os seus filmes e, por isso, venho deixar a minha seleção ideal para uma maratona comemorativa do 31 de outubro.

Porém, primeiro quero explicar o porquê de me fascinar tanto pelo homem. Que é um ícone do cinema e um génio do stop motion já todos sabemos, é quase como se fosse um conhecimento universal completamente indiscutível. Mas o que mais me atrai nele é o facto de ser tão fiel à sua estética, torná-la tão sua e fazer com que o seu público se consiga colocar no papel de cada personagem. Talvez por ter sido ostracizado durante tanto tempo e ter combatido a solidão com criatividade, eu acredito que muitos de nós, incompreendidos, nos identifiquemos com ele. Além disso, é completamente maravilhoso o facto de conseguir, no meio de cenários aparentemente tão sombrios e macabros, ser leve e alegre. Um tanto paradoxal, eu sei, mas penso que esse é um dos fatores-chave que tornam toda a sua filmografia tão única.

img_797x448$2020_02_04_12_17_38_618036.jpg

Agora que já consegui mostrar parcialmente a minha faceta fan-girl, está na hora das ditas sugestões - que estão ordenadas cronologicamente, não quisesse eu ser organizada. É provável que já os tenhas visto a todos pelo menos uma vez na vida, mas agora que o covid nos obriga a estar mais tempo em casa, até é giro viajar pelos caminhos da nostalgia.

EDUARDO MÃOS-DE-TESOURA (1990)

Haverá melhor dupla cinemática que Tim Burton e Johnny Depp? Claro que não. Por isso, vou começar já por ela. Para quem não conhece, esta é a história de alguém - porque eu não sei se se pode dizer que é humano - chamado Edward, ou Eduardo como o bom português diria. Quase que poderia ser um "menino" normal, não fosse o facto de, em vez de ter mãos, ter tesouras. Como podes calcular, todos os que se cruzariam com ele morreriam de medo - o que é uma pena, pois ele não passa de uma alma incompreendida que apenas quer expressar a sua arte mas é vista como uma aberração. Contudo, e para dar aqui um pozinho romântico, há uma menina que se torna sua amiga, combatendo os estigmas de que Edward é alvo. Fofinho, não é?

46effa5a4ab9d2a449d2555fb2429bab.jpg

O ESTRANHO MUNDO DE JACK (1993)

Antes de mais vou já falar do elefante na sala. Sim, este filme tem o título pessimamente traduzido. Para quem gosta de línguas, acredito que ler isto seja um soco no estômago, mas eu não consegui evitar trazer esta peça à baila. Se o filme podia ter sido chamado "O Pesadelo Antes do Natal"? Podia. Mas não era a mesma coisa. 

Agora que já resolvemos esta picardia, vou passar à apresentação da obra. Na realidade, apesar da temática halloweenesca, este filme mostra uma realidade presente, pelo menos nas ruas nacionais. Tem a música mais emblemática do Dia das Bruxas, mas convenhamos: aquela 1h10 representa na perfeição o facto de, em pleno outubro, as ruas já estarem todas decoradas com ornamentos natalícios. Para quem está confus@ com o que disse, digamos que este filme é um jogo do telefone avariado entre as duas festividades.

O-Estranho-Mundo-de-Jack.jpg

A NOIVA CADÁVER (2005)

E como se um filme com a participação do querido Johnny não fosse suficiente, tenho mais um para ti. Desta vez é sobre um triângulo amoroso passado num destino vitoriano que se cruza com o mundo dos mortos. Claro que poderia ser um romance cliché com uma paisagem de fundo sombria mas, verdade verdadinha, acaba por revelar um final de empoderamento feminino que deixa o meu coração enternecido. Porque as raparigas, nem depois de mortas, devem depender de um rapaz para ser feliz - e o mesmo se aplica ao contrário.

fd15bbab6643ebb58ffd2042027f600208caa816.jpg

FRANKENWEENIE (2012)

Não sei se já tinha dado a entender, mas eu sou uma dog person. Talvez por isso quis terminar a lista com um cão fofinho - tendo em conta o universo sombrio em que estamos. Num resumo muito resumido, este filme conta a história de Victor, um menino que perdeu o seu cão mas recusou-se a viver sem ele (quem nunca?). Por isso, deu uma de génio maléfico e ressuscitou o canito, desta vez em modo zombie. Se é uma adaptação quase cara-chapada do "Frankenstein"? Sim. Mas é muito mais adorável e há quem diga até que este filme é uma prequela do "Noiva Cadáver" - mas esses são outros quinhentos.

MV5BY2UwYWI3MTktM2MxNC00MjRhLTlkMWEtYTNjMjRkOTIwOT

Com esta coisa do bicho que anda à solta e consequente impossibilidade de andar a brincar ao doçura ou travessura, aliada ao facto de andar a chover e não haver nada melhor do que ficar em casa enroscad@ numa manta a ver filmes, achei por bem fazer esta lista. Se os dias fossem eternos e não tivéssemos mais que fazer, eu incentivava-te a ver todas as obras deste homem. Mas como temos de fingir que a vida é mais do que apreciar bom cinema, é melhor terminar por aqui. Por isso, agora te pergunto: qual destes filmes já conhecias, qual o teu favorito e qual aquele que devia fazer parte deste post? Espero por ti nos comentários!

8 comentários

Comentar post